Milho: chuvas chegam ao Sul e Sudeste e permitem o início do plantio da safra de verão

03/10/2017 18:45:49

As chuvas voltaram ao Sul e começaram a cair no Sudeste do Brasil, permitindo o retorno do plantio da safra de milho, com um pouco de atraso e forte queda na área. Os produtores que já haviam plantado no Sul do país apontam perda no potencial produtivo, pois as pragas tomaram conta das plantações. As lavouras plantadas a partir de agora devem ter chuvas regulares e condições melhores de desenvolvimento.

Enquanto os produtores apontam queda de 30 a 50% na área frente ao plantio do ano passado, os órgãos oficiais indicam redução menor, dados que devem ser confirmados nas próximas semanas, quando será encerrada a maior parte do cultivo programado para esta safra. Os indicativos dos campos apontam que dificilmente a safra ultrapassará as 20 milhões de toneladas neste verão, frente às 30,5 milhões de toneladas já colhidas neste ano.

Os produtores acreditam também que o início da colheita deverá ser adiado, por conta do atraso de quase um mês no plantio. Assim, a previsão é ter milho novo somente no final de fevereiro, com alguma produção chegando mais cedo em pontos isolados do Sul do Brasil.

Em Goiás, os produtores indicam que não vão plantar o milho de verão, somente safrinha, enquanto em Minas Gerais o plantio deverá fluir de agora em diante, mas também com queda na área, onde parte das lavouras receberão soja a partir da metade de outubro. No Mato Grosso do Sul, o plantio de verão - primeira safra - estará limitado a poucas lavouras isoladas na região do Chapadão, e quase nada de plantio no Mato Grosso.

Isto sinaliza forte queda na oferta da primeira safra brasileira do milho nesta nova temporada, e reversão do mercado deste ano, que teve excesso de milho no verão, safrinha recorde e cotações baixas. A tendência agora é mudança do quadro, a favor do produtor.

 


Siga a Arysta